Dom Ricardo Pedro celebra 25 anos de episcopado

O arcebispo emérito de Pouso Alegre (MG), dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, O.Praem., celebrará no dia 21 de abril, seus 25 anos de ordenação episcopal.

Para marcar a data, uma Missa será celebrada às 10 horas na Catedral Metropolitana de Pouso Alegre, em Ação de Graças pelo Jubileu de Prata Episcopal.

Padres de diversas paróquias, religiosos, religiosas e fiéis de toda a arquidiocese sul mineira são esperados para juntamente com o arcebispo emérito agradeceram pelos 25 anos de sua ordenação episcopal.

Arcebispo Emérito

Conforme determina o Código de Direito Canônico, ao completar 75 anos o bispo deve enviar carta de renúncia ao Vaticano, o que fez Dom Ricardo. No dia 28 de maio do ano passado o Papa Francisco aceitou o pedido e Dom Ricardo tornou-se o primeiro arcebispo emérito de Pouso Alegre.

Mineiro de Capelinha, Dom Ricardo nasceu no dia 6 de agosto de 1938. Em 1961 ingressou no noviciado dos Cônegos Premonstratenses (Ordem fundada por São Norberto), em Pirapora do Bom Jesus (SP). Foi ordenado padre em 29 de junho de 1967.

Foi designado bispo de Leopoldina (MG), pelo Papa João Paulo II, em 14 de março de 1990. No dia 21 de abril do mesmo ano foi ordenado bispo, em Contagem (MG). Em 16 de outubro de 1996, Dom Ricardo foi nomeado arcebispo da Arquidiocese de Pouso Alegre, vindo a tomar posse em 3 de dezembro.

Dom Ricardo é o sexto bispo, terceiro arcebispo e primeiro arcebispo emérito da Arquidiocese de Pouso Alegre.

Transmissão ao vivo

O Arcebispo emérito de Pouso Alegre, Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, O. Praem, celebra 25 anos de ordenação episcopal a ser celebrado no dia 21 de abril, terça-feira, às 10h, com solene Celebração Eucarística em Ação de Graças na Catedral Metropolitana de Pouso Alegre, MG.

A Santa Missa terá transmissão ao vivo da TV Libertas e das Rádios da Arquidiocese de Pouso Alegre, Rádio Difusora, sintoniza em 710 Khz AM ou no site http://difusorapousoalegre.com.br/  e Rádio Paraisópolis 1490 Khz AM ou no site http://www.radioparaisopolis.com.br/

Com informações de: http://webradio13demaio.com/

Quinta-feira Santa – Missa da Ceia do Senhor

Quinta-feira Santa no seu mistério mais profundo, podemos dizer que celebra profeticamente a Páscoa de Jesus Cristo prolongada na Igreja. Esta Igreja que nasce, como esposa, do lado aberto de Cristo, esta Igreja gerada como Corpo místico de Cristo pela celebração dos Sacramentos e a prática do novo mandamento. Em outras palavras, podemos dizer que na Quinta-feira Santa sela-se o Testamento da Nova Aliança, em torno dos Sacramentos, especialmente da Eucaristia, e do novo Mandamento, significado pelo lava-pés. Jesus continua o seu serviço de salvação através da Igreja. A seu serviço estão os diversos ministérios, especialmente os ministérios ordenados.Assim, podemos seguir uma linha unitária.

Na Missa vespertina da Ceia do Senhor dá-se especial realce ao mistério da Eucaristia. Também aqui os mistérios celebrados podem ser vistos numa linha unitária. No centro de tudo está o Mandamento da Caridade, significado pelo lava-pés (cL Ev., Jo 13,1-15). Mas ele se realiza de maneira forte na Eucaristia, no Corpo dado e no Sangue derramado. Para que, através da Eucaristia, a Igreja se torne sacramento de unidade na caridade, eis o sacerdócio ministerial.

A Igreja, Comunidade de amor, alimentada e expressa pela Eucaristia e animada pelos ministros ordenados, nasce do mistério pascal de Cristo. Nesta noite ele é entregue e entrega-se aos discípulos como Corpo dado e Sangue derramado, antecipação de sua total entrega ao Pai.

Poderíamos dizer que na Quinta-feira Santa a Comunidade eclesial celebra o mistério da Igreja nascida do mistério pascal de Cristo.

Confira imagens da celebração em nossa Arquidiocese:

[wzslider]

Dom Majella preside Missa de Domingo Ramos na Catedral

A Catedral Metropolitana de Pouso Alegre realizou na manhã de domingo, às 10h, a Solenidade de Domingo de Ramos. A cerimônia teve início na Capela do Sagrado Coração de Jesus (Capela de Santa Doroteia) e em seguida, a procissão saiu em direção a Catedral Metropolitana de Pouso Alegre. A Missa foi presidida pelo arcebispo metropolitano, dom José Luiz Majella Delgado e concelebrado pelo pároco e cura da Catedral, cônego Edson Oriolo e o capelão do Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL), monsenhor José Catarino Umbelino.

A procissão tomou conta das principais ruas e avenidas da região central. Ao som dos sinos a segunda parte da Solenidade teve início, com a Catedral lotada de fiéis. Dom Majella enalteceu a importância da solidariedade e da piedade.

[wzslider]

Missa de abertura do Ano da Vida Consagrada é celebrada na Catedral

consagradaNa manhã deste domingo, 22 de fevereiro, durante a celebração das 10h30, aconteceu na Catedral Metropolitana da Arquidiocese De Pouso Alegre a Santa Missa de Abertura do Ano da Vida Consagrada. A celebração da missa foi presidida pelo arcebispo dom José Luiz Majella Delgado e concelebrada pelo cura da Catedral, cônego Edson Oriolo, o vigário paroquial da Catedral, monsenhor Vicente Pereira Gomes e diversos padres religiosos.

Dezenas de representantes de congregações religiosas da Arquidiocese Pouso Alegre estiveram presentes. Logo no início, o irmão Gino Girardelli, representando os religiosos da arquidiocese, fez uma saudação especial ao arcebispo dom Majella e a todos religiosos, onde ressaltou também a vida evangelizadora dos religiosos.

No ofertório, representantes das congregações apresentaram no altar os símbolos de suas congregações e ao fim da celebração todos posaram para foto oficial (abaixo).

A celebração foi transmitida para toda região pela TV Libertas.

[yendifplayer video=7]

 

Por Lucas Silveira

Abertura da novena de natal em nossa arquidiocese

 

capaface

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Neste último domingo, dia 23 de novembro, nosso arcebispo Dom Majella presidiu, na catedral Metropolitana, a Solenidade de Cristo Rei. Esta celebração marcou também o lançamento da novena de natal em família em nossa arquidiocese, além da coleta da Evangelização que acontecerá no próximo dia 14 de dezembro em todo o Brasil.

Em sua homilia, Dom Majella destacou o papel de Jesus no juízo final, não como um juiz iníquo, mas como um pastor que exerce sua misericórdia conforme nossas obras de bondade junto aos mais necessitados.

Falou também sobre a missão dos leigos e leigas na Igreja, a qual todos somos chamados e convidados a transparecer o “rosto de Jesus” em qualquer ministério exercido. Para ajudar nas obras de evangelização em nossa arquidiocese e no Brasil, motivou a assembleia a colaborar com a Coleta da Evangelização, organizada pela CNBB com o slogan “Evangeli Já” e neste ano tem como tema “Cristo é a nossa paz.” (Ef. 2,14)

Sobre a novena de natal, agradeceu à equipe organizadora e convidou a todas as famílias a se prepararem, pela novena, para um feliz e santo natal.

No final da celebração, Pe. João Bosco de Freitas, coordenador arquidiocesano de Pastoral, falou à assembleia sobre a estrutura do livrinho que já foi elaborado por uma equipe arquidiocesana e distribuído às paróquias na última atualização teológica do clero, realizada no final do mês de outubro. Alguns livrinhos estão disponíveis na livraria católica em Pouso Alegre.

A celebração eucarística foi transmitida pela webrádio 13 de maio, rádio difusora de Pouso Alegre e Paraisópolis, além de várias rádios e webrádios paroquiais e pela TV Libertas de Pouso Alegre.

Confira algumas imagens:

cartaz ce comunhãoconsagração

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

entrada

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Crédito das imagens 2 e 3: Lucas Silveira

 

Convite: Missa de Ação de Graças pelos 18 anos de Ministério Episcopal de Dom Ricardo Pedro

DomRicardo

Pouso Alegre, 06 de junho de 2014.

 

Ao Clero, Religiosos, Religiosas e fiéis leigos da Arquidiocese de Pouso Alegre

 

A Paz de Cristo esteja com todos.

 

Convidamos para a Celebração Eucarística de Ação de Graças pelos 18 anos de Ministério Episcopal de Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, O.Praem, nesta Arquidiocese:

 

Dia 30 de junho de 2014

Na Catedral Metropolitana de Pouso Alegre

Às 19 horas.

 

Na ocasião celebraremos também os seus 47 anos de Presbítero e 24 anos de Bispo.

Pedimos que este convite seja feito nas Celebrações das Comunidades.

 

Em Cristo Jesus,

 

Côn. Vonilton  Augusto  Ferreira

Pelo Colégio dos Consultores da Arquidiocese.

 

Dom Marco Aurélio celebra jubileu de prata

Dom Marco Aurélio celebrará Missas em Pouso Alegre, Ouro Fino, Aparecida e Itabira.

jubileu1

O bispo da Diocese de Itabira/Coronel Fabriciano (MG), Dom Marco Aurélio Gubiotti, celebra neste ano seu jubileu sarcedotal de Prata. No dia 19 de janeiro ele celebrará a Missa das 18 horas na Matriz da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Pouso Alegre (MG). A celebração será transmitida pela Web Rádio 13 de Maio.

Antes de celebrar na comunidade onde foi pároco, no dia 16 de janeiro, Dom Marco Aurélio celebra uma Missa no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, às 10h30. Os 25 anos de sacerdócio também serão comemorados com celebrações na Basílica Nacional de Aparecida (SP), no Santuário de Ouro Fino (MG) e na Catedral de Itabira.

jubileu2-1

Dom Marco Aurélio foi ordenado padre no dia 14 de janeiro de 1989, em Ouro Fino. Confira a programação completa das comemorações do jubileu.

Fonte: Éder Couto;  www.webradio13demaio.com

Comunidade Sol de Deus Prepara Lançamento do Livro da Vida do Pe. Valeriano

A comunidade Sol de Deus e o Residencial Beth Geruth tem o prazer em convidar a todos para  a Santa Missa e logo em seguida o lançamento do livro sobre a vida de Pe. Valeriano que acontecerá no dia 07 de dezembro às 9h da manhã.
Local: Av. José de Souza Nogueira, nº 505, Bairro Santa Rosa, Itajubá – MG
Telefones para contato: (35)3623-7404 e (35)8848-9928

Conhecendo um pouco sobre Pe. Valeriano

O padre Valeriano, viveu como eremita na Comunidade Sol de DEUS durante 12 anos.

Padre Valeriano - Irmao JuniperoTranscrevemos aqui, o testemunho que ele deu de sua vida aos seminaristas de Filosofia e Teologia do Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, por ocasião da homenagem que lhe fizeram pelos 25 anos de sacerdócio, em maio de 2009.

“Pai, mãe e irmãos, hoje todos falecidos. De 1946 a 1954 fui irmão franciscano na Ordem dos Frades Menores. De 1954 a meados de 1957 fiz um estágio na Fraternidade dos “Petits Frère de Jesus du Père de Foucauld”. Voltando ao Brasil, permaneci como leigo de meados de 1957 a 1959, e em 1960 casei-me com Maria José Freire. Assim, antes do ingresso no Seminário, fui casado e tive dois filhos e três netos.

Possuía uma chácara em Taubaté, que foi transformada em Casa de Retiros e, a partir de 1975, tornou-se a sede da Renovação Carismática de Taubaté. Em 1978, minha esposa faleceu. Em 1980, vendi a Chácara para a Diocese de Campanha.

Cursei Teologia de 1982 a 1984. Fui ordenado sacerdote em 12 de dezembro de 1984, pelo saudoso Arcebispo de Pouso Alegre Dom José D’Angelo Neto; tendo como Lema: CONHECER E AMAR JESUS PARA FAZÊ-LO CONHECIDO E AMADO.

Fui em seguida, designado com pároco de Itapeva, onde exerci o ministério até 1991. Transferido para São Sebastião da Bela Vista – ficando ali como pároco até 1994.  De 1995 e 1996, fiquei com minha mãe, no Asilo de Santa Rita do Sapucaí, pois ela, que vivia comigo, estava muito doente. Ali ela faleceu.  No període de 1996 a 1998 morei na Comunidade Canção Nova.

O meu grande sonho, desde a minha experiência como frade franciscano, era ser um eremita, e isto se tornou realidade em 1998, na “Comunidade Sol de Deus”. Aqui estou muito feliz, nesta santa Comunidade, lavando os pés de meus queridos irmãos que me tratam com um exagerado e imerecido carinho.

A vida em si já é um perpétuo desafio. Durante esses 25 anos, obtive muitas vitórias, dais quais não me glorio porque foram vitórias do Senhor, tendo eu sido apenas um simples instrumento. Mais obediente e maleável eu fosse, muito mais vitórias teria obtido. Se quisesse gloriar-me teria de ser por minhas inúmeras fraquezas e derrotas que na verdade fizeram brilhar a misericórdia do Senhor para comigo, pobre pecador.

Como fui franciscano durante 9 anos, imbuiu-me profundamente do espírito do “Poverello de Assis”. Ao ouvir as mensagens e testemunhos do Padre Roberto Lettieri, quando ele nem era ainda padre, nos idos de 1997, reinflamou em mim o desejo de voltar às fontes de minha vocação primitiva. Confidenciei isso com ele e, no início de 2007, já com 83 anos, e no mês de junho desse mesmo ano, na Festa da Santíssima Trindade, ele veio de Campinas para me acolher na Toca. A celebração realizou-se na Capela São Miguel de nossa Comunidade, e recebi o nome religioso de “Irmão Junípero da Santíssima Trindade”.

Aos queridos seminaristas, a minha mensagem é que sejam radicais na busca da santidade porque a vossa missão no futuro é justamente despertar nas almas esse mesmo ideal de santidade, o que não é u simples conselho, mas uma ordem do Senhor: “Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,49) e “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Lev 19,2).

E a História de sua vida, escrita por ele mesmo em outra ocasião:

Transcrevemos aqui, trechos de dois testemunhos que o padre Valeriano deu de sua vida, em duas ocasiões, nos anos de 1994 e 2009:

“Nasci em 22 de setembro de 1924. Meu chamado para a vida religiosa aconteceu em 1946. Saí de Tarumirim em busca de uma vida melhor. Na verdade, fugi, pois havia dito aos meus pais que iria passear em Belo Horizonte, mas tinha a intenção de não mais voltar. Arranjei um emprego em Itabira; dali, fui para o Espírito Santo, de onde consegui transferência para o Rio de Janeiro. Eu era muito ambicioso, queria ficar rico. Tudo ia caminhando segundo os meus planos. Estava também fazendo um curso para o Conselho Federal de Comércio Exterior. Já estava para ser admitido, quando, certa manhã, passando pelo Largo da Carioca, olhei curioso para o Convento dos Franciscanos no alto do morro e me questionei: “O que fará aquela gente ali?”.

Até então, eu ía apenas à Missa dominical, por obrigação. Mas fui tão bem acolhido, que em pouco tempo já participava da Ordem Terceira de São Francisco e fazia a minha confissão geral. Começou meu processo de conversão. Abandonei o emprego, meus projetos e me tornei Franciscano. Mas eu era muito radical, queria viver como os franciscanos do tempo de São Francisco. Soube, então, de uma Comunidade na França, que vivia quase que literalmente  esse ideal. Poucos meses depois, lá estava eu, na “Fraternité des Petits Frères de Jésus du Père De Foucauld”; mas não consegui visto de permanência e voltei para o Brasil. Meu diretor espiritual, Frei João José Pedreira de Castro, grande biblista, convidou-me para fundar com ele o Centro Bíblico Católico, e trabalhamos juntos pela tradução e lançamento da Bíblia da Editora Ave-Maria. Nessa época, traduzi também, mais de 20 livros para a Editora Flamboyant.

Em dezembro de 1958, fui para Taubaté, para tentar novamente a vida religiosa, desta vez com os Capuchinhos. Mas ali me esperava o Senhor com uma “capuchinha” leiga, feita sob medida para mim, e acabei me tornando um “capuchinho de uma capuchinha só”, pois o Senhor “teceu os pauzinhos” e em 1960, acabou acontecendo o que não estava nos meus planos: o casamento.

Ela se chamava Maria José. Era muito santa e linda de viver. Foi um acontecimento muito feliz na minha vida, porque depois de tantas andanças, consegui me fixar e me tornar mais responsável. Ela deu novo impulso ao meu processo de conversão. Tivemos uma filha e adotamos outro.

Em 1965, compramos uma chácara e a transformamos numa Casa de Retiros. Tivemos ali muitas experiências de oração e alguns aprofundamentos, mas o Senhor levou minha santa esposa para o Céu em 1978. Agora, viúvo, o que fazer?

Depois de muita oração decidi buscar o sacerdócio. Fui aceito por Dom José d’Angelo Neto, Arcebispo de Pouso Alegre. Ordenado Sacerdote em 1984, fui Pároco de Itapeva, depois fui transferido para São Sebastião da Bela Vista, e dali para Santa Rita do Sapucaí, onde morei num Asilo, acompanhando minha mãe que estava muito velhinha.

Em 1995, tendo falecido minha mãe, pedi ao meu amigo Padre Jonas para fazer uma experiência na Canção Nova.

Meu grande sonho, desde a minha experiência como franciscano, era tornar-me eremita. E em 1998 esse sonho acabou se tornando realidade na Comunidade Sol de DEUS. Mas como fui franciscano por 9 anos, imbuiu-me profundamente o espírito do “Pobrezinho de Assis” e, ao ouvir as mensagens e testemunhos do Pe. Roberto, reinflamou em mim o desejo de voltar às fontes de minha vocação primitiva. Confidenciei isso a ele e, em 2007, já com 83 anos, ele veio de Campinas para me acolher na Toca de Assis, na capela de São Miguel em nossa Comunidade Sol de DEUS, quando recebi o nome religioso de Irmão Junípero da Santíssima Trindade.
E aqui estou como eremita e franciscano, muito feliz, nesta santa Comunidade, lavando os pés de meus queridos irmãos que me tratam com um exagerado e imerecido carinho”.

Fonte e fotos: www.comunidadesoldedeus.blogspot.com.br

 

 

Procissão do Senhor Morto é realizada na Pároquia Bom Jesus (Catedral) em Pouso Alegre

Nesta Sexta-feira Santa da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo a Igreja celebra o momento da morte de Jesus na Cruz e o seu sepultamento. Neste dia nossas comunidades paroquiais costumam fazer a encenação da Paixão e em seguida a procissão do sepultamento. Confira como foi este momento na Paróquia Bom Jesus em Pouso Alegre:

Santa Missa do Crisma é celebrada por Dom Ricardo na Catedral Metropolitana

Na manhã desta Quinta-feira Santa na  Catedral Metropolitana de Pouso Alegre – MG foi celebrada a santa Missa do Crisma presidida por nosso Arcebispo Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho O.Praem. e concelebrada pelo clero arquidiocesano. Nesta celebração da Quinta-feira santa foram abençoados pelo nosso Arcebispo os Santos óleos dos Catecúmenos, do Crisma e da Unção dos Enfermos, ainda nesta Santa Missa os presbíteros fizeram a renovação de suas promessas sacerdotais.

Confira abaixo a reportagem  da WebTV Católicos PA: