Catequese realiza encontro em Pouso Alegre

O Encontro com os coordenadores paroquiais da catequese ocorreu no último sábado, 29, a partir das 08h, no Seminário Arquidiocesano em Pouso Alegre. Esse foi o terceiro momento de estudos e formação deste ano, dando continuidade ao tema “Bíblia e Catequese”. Dois catequistas de cada comunidade foram convidados a participar.

Veja algumas fotos

[slideshow]

 

 

 

 

Um novo meio de comunicação na Catedral Metropolitana de Pouso Alegre

A WEBTV Católicos RA e um grupo de comunicação ligado a Igreja Católica com apoio do Cura da Catedral Padre Edson Oriolo, que visa a evangelização através da internet.

Possui um site (www.wix.com/webtvcatolicospa/pa) onde posta vídeos, feitos pela equipe da WEBTV, noticias de eventos da Arquidiocese, a nível nacional e mundial (como a Jornada Mundial da Juventude) e palavras do Santo Padre.
A principal atividade da WEBTV é a gravação dos vídeos que consiste em entrevistas, coberturas de eventos, tudo que seja ligado a Igreja Católica, suas pastorais e movimentos, e matérias gravadas em estúdio que se localiza na Igreja de Santo Antonio e na Catedral.

A WEBTV está no inicio, não possui patrocínio; para o site utilizamos uma base gratuita, porém estamos em fase de implementação junto a Catedral de um novo site que em breve estaremos divulgando.

Nosso objetivo e divulgar os eventos da nossa Igreja, mostrar suas atividades de um ponto de vista dinâmico, refletir a Palavra de Deus e levar ate sua casa as noticias católicas da nossa região. E buscarmos sempre melhorar a nossa missão.

Este é um trabalho novo na Arquidiocese. Não ternos relato de outro grupo de comunicação com essa idéia. Por isso contarmos com o apoio dos párocos, pastorais, grupos, movimentos e toda comunidade católica, para que cada vez mais possamos divulgar as atividades de nossa Igreja.

Os componentes da WEBTV Católicos RA são: André Ramos, Eduardo Oliveira, Felipe do Vale, Rodrigo Machado, Tatiana Camilo e Thais Camilo.

SITE: www.wix.com/webtvcatolicospa/pa
Email: [email protected]
Grupo de Comunicação da Catedral

DNJ 2011: Tecer relações de vida

“Seguiremos em marcha, pela vida e pelo Reino”

O Dia Nacional da Juventude 2011 apresenta como tema: Juventude e protagonismo feminino e o lema: Jovens mulheres tecendo relações de vida. As reflexões de tema e lema são inerentes ao universo juvenil, e se encontram no foco das discussões do novo projeto nacional da Pastoral da Juventude o Tecendo Relações. O projeto traz em seu nome o derivado da palavra tecer e também e se propõe a olhar sobre as relações. Relações que hora são tomadas pela beleza da resistência, por um mundo mais justo, humanizado e equânime e hora relações que são construídas pela imposição capitalista, patriarcal, homofônica e racista, que produz a morte. Eis o nosso desafio, resistir tecendo relações de vida, com protagonismo e ousadia, com práticas proféticas, pautando no dia-a-dia a superação da prostituição, da violência, do consumo desenfreado, do machismo e do preconceito. Precisamos estar vigilantes, movimentando-se ao encontro da juventude e dos/as empobrecidos/as. Tecer relações é olhar pra nós mesmos, mas é principalmente olhar o clamor do povo, é alargar as tendas das relações. Segundo as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2011 a 2015), “Como cidadãos cristãos, cabe nos empenharmos na busca de políticas públicas que ofereçam as condições necessárias ao bem estar das pessoas, famílias e povos. Urge que as comunidades e demais instituições católicas colaborem ou ajam em parceria com outras instituições provadas ou públicas, com os movimentos populares e outras entidades da sociedade civil, no sentido de reivindicar democraticamente a implementação e execução de políticas públicas voltadas para a defesa e promoção da vida e do bem comum, segundo a Doutrina Social da Igreja” (p. 76). Falar do bem comum, é ajudarmos na construção de relações respeitosas, amorosas, igualitárias, dialógicas e horizontais, é buscar que tenhamos pão em todas as mesas, mas também beleza e arte. Tecemos relações de vida, quando não banalizamos as relações, fazendo das mesmas descartáveis e utilitaristas, quando não desprezamos a necessidade do/a jovem de expor seus conflitos no campo da sexualidade, quando não nos afastamos do debate do projeto de vida, atribuindo a mídia essa responsabilidade. O Dia Nacional da Juventude é assim, cheio de possibilidades, historicamente ligado a luta social da juventude, é o espaço da vivência processual de ampliação de conhecimento, sobre diversos temas. Em especial em 2011 trata de discussões em torno do gênero, portanto façamos desse mais um momento de ampliarmos nossos olhares sobre a afetividade e sexualidade, sobre os direitos das mulheres, sobre as questões que tecem as nossas vidas. Autor/Fonte: Equipe do Projeto Nacional Tecendo Relações da Pastoral da Juventude http://www.pj.org.br/noticias.php?op=ExibeNoticia&idNot=1068

Igreja no Brasil: CNBB volta a se posicionar em favor de uma Reforma Política profunda no país

“Há mecanismos hoje para coibir a corrupção em nosso país, mas a Reforma política certamente poderá ajudar muito nessa questão”. A afirmação acima é do presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, em coletiva de imprensa realizada na tarde desta quinta-feira, 27, último dia da reunião do Conselho Permanente da entidade.

Dom Damasceno reiterou a posição da CNBB que, através de uma nota intitulada “Reforma Política: urgente e inadiável!” defendeu uma reforma que ultrapasse o campo eleitoral. “Nós desejamos que não aconteça apenas uma reforma eleitoral, mas uma Reforma Política, como diz a nota que nós assinamos, que seja uma ‘reforma urgente e inadiável que deve ultrapassar os limites de uma simples reforma eleitoral porque sua função é coibir a corrupção que corrói as instituições do Estado brasileiro’, por isso, pedimos que a sociedade assuma essa bandeira”, sublinhou o cardeal.

Ainda sobre o tema Reforma Política, o presidente da CNBB afirmou que a impunidade deve ser combatida através da justiça e defendeu uma investigação profunda caso haja indícios de má conduta na vida pública. “No caso de indício de corrupção, a justiça deve ser acionada para que a investigação corra e busque os culpados. Se for comprovada a inocência daquele que é acusado ele deve recuperar o seu bom nome, a sua dignidade perante a sociedade, porém, uma vez comprovada sua culpa é necessário que seja punido. Quando a justiça não funciona a impunidade continua e estimula a corrupção”.

Outro ponto colocado pela presidência da CNBB durante a coletiva foi o Código Florestal brasileiro. Dom Damasceno disse que as discussões em torno do novo texto estão ocorrendo de maneira normal e destacou a possibilidade da Conferência apresentar uma emenda ao texto que beneficie de modo especial os pequenos agricultores.

“Creio que as discussões estão ocorrendo de maneira normal dentro do Congresso na Câmara e no Senado. Para dar a sua contribuição, a CNBB deverá apresentar alguma emenda ao texto, sobretudo tendo em conta os pequenos agricultores, aqueles que são mais pobres, de modo que nós queremos também tomar a sua defesa para uma política melhor, para a preservação do meio ambiente e para um desenvolvimento também sustentável”, destacou dom Damasceno.

Com informações da CNBB

Objetivos da Ação Pastoral da Igreja (2011-2015)

Na 49ª Assembléia da CNBB, realizada em Aparecida, foi definido o novo Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil para os próximos anos: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo”. Vale a pena refletir sobre seu conteúdo, que deve fundamentar as atividades pastorais das comunidades que formam todas as paróquias brasileiras. 

Evangelizar: essa é a missão permanente da Igreja e de cada um de seus membros. Ser cristão é ser evangelizador na família e na comunidade. Ser cristão é anunciar o evangelho pelo testemunho e pela palavra.

a partir de Jesus Cristo: Jesus Cristo é o princípio e o fim de toda ação evangelizadora, a fonte e o centro de toda a vida cristã. É, portanto, a partir d’Ele que a boa nova da salvação deve ser anunciada a todos os homens e mulheres em todos os tempos.

e na força do Espírito Santo: no dia de Pentecostes a Igreja recebeu o Espírito Santo, prometido por Jesus e enviado pelo Pai, para confirmar os ensinamentos recebidos pelos apóstolos e discípulos de Jesus e fortalecê-los na fé. Por isso, é a força do Espírito Santo que faz a evangelização se concretizar na vida do povo.

como Igreja discípula, missionária e profética: a Igreja, Povo de Deus, que somos nós, deve estar sempre atenta ao que Jesus ensinou, deve segui-lo sempre, sendo sua discípula. Faz parte também da sua própria natureza o anúncio dos ensinamentos de Jesus, é, por isso, essencialmente missionária. Deve falar de Deus e denunciar tudo aquilo que contraria o projeto divino em favor da vida e da dignidade humana, deve ser profética..

…. alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia: Jesus Cristo está presente na Palavra e na Eucaristia, alimentos essenciais da vida de cada cristão e da sua Igreja. O anúncio do Evangelho só alcançará êxito se fortalecido por esses dois alimentos vitais à existência e à ação evangelizadora da Igreja.

à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres: a salvação é para todos, ninguém está excluído dela. No entanto, os evangelhos nos mostram que Jesus teve preferência especial pelos excluídos da sociedade, pelos mais sofridos, pelos pobres. A Igreja não pode, portanto, agir diferente. Deve evangelizar à luz dessa opção de Jesus.

para que todos tenham vida: Jesus veio para comunicar aos homens a verdadeira vida, que procede amorosamente do Pai. Vida abundante, vida plena. Essa é a finalidade da evangelização, anunciar a vida para que todos a usufruam em sua dimensão completa. E que todos a preservem e a promovam, desde à concepção até seu fim natural.

rumo ao Reino definitivo”: o Reino já está em nosso meio, mas deve ser construído a cada dia, por cada um de nós. Devemos ser protagonistas da concretização do Reino vivendo o que Jesus nos ensinou e a Igreja testemunha. A evangelização tem sua razão de ser em vista do Reino definitivo.

Esses comentários não têm a preensão de esgotar toda a riqueza do Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, definido pelos nossos pastores e sim serem ponto de partida para reflexões mais profundas que devem ser realizadas em nossas paróquias. Fica aí o convite!

Por Luiz Gonzaga da Rosa (Paraisópolis)

Igreja no Brasil: Núncio Apostólico lança livro na sede da CNBB, em Brasília

O núncio apostólico no Brasil, dom Lorenzo Baldisseri, lançou nesta quarta-feira, 26, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília, o seu mais novo livro, intitulado “Ação e Missão – Um Itinerário Eclesial no Brasil”.

A obra, lançamento da Editora Paulus, pontua o trabalho do núncio de representar o Santo Padre por meio de inúmeras visitas pastorais, intervenções, reuniões, contatos com autoridades civis e militares, multidões de fiéis, bispos, clero, instituições, homens da cultura e da política.

“Esse testemunho, sem dúvida nenhuma, ajudará a compreender mais a função importante e multiforme de um representante do papa em nosso país. E também a amplitude e a repercussão de seu labor, pois aqui temos apenas a seleção de alguns textos entre os muitos outros que formam a vasta e valiosa produção teológico-pastoral de dom Lorenzo Baldisseri”, afirmou o cardeal presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), dom Raymundo Damasceno Assis.

Dom Lorenzo Baldisseri explicou um pouco sobre a seleção de textos que estão incluídos no livro. “Optei por incluir os textos mais significativos de intervenções pronunciadas em diversos momentos da vida da Igreja e da sociedade, a auditórios que pudessem apreciar e compreender a presença do Núncio Apostólico como um revigoramento e um instrumento privilegiado de comunhão eclesial, cujo centro visível é o Sucessor de Pedro”, ressaltou dom Lorenzo.

Na primeira parte, dom Lorenzo reúne aulas e palestras em faculdades, estudos teológicos e universidades pontifícias e católicas sobre magistério, formação filosófica e teológica e ética política. Já a segunda é reservada aos registros de momentos determinantes do itinerário evangelizador das dioceses. Trata-se de textos proferidos pelo núncio apostólico por ocasião de eventos civis, a exemplo do cinquentenário da fundação da cidade de Brasília (DF), homilias realizadas por ele em celebrações eclesiais e algumas efemérides de elevada importância para a Igreja, como as que se referem ao falecimento de João Paulo II, beatificado em maio deste ano, e a eleição do papa Bento XVI.

Por último, o leitor encontrará textos a respeito da ação e da participação do núncio na vida eclesial, a qual tem sua expressão propriamente institucional por conta da criação de novas dioceses, da ordenação e posse de novos bispos. Nesta parte, o autor une as mensagens pronunciadas durante as celebrações da Dedicação de Igrejas Catedrais, de Congressos Eucarísticos Diocesanos, etc.

“Com estas páginas, ressalta-se com certeza a função eclesial e pastoral do núncio apostólico, que se harmoniza perfeitamente com a outra de caráter diplomático, de relevância internacional, como o exige quem o envia e quem o recebe no país”, acrescenta dom Lorenzo Baldisseri.

“O avesso de mim”, por padre Flávio Sobreiro

O mais importante do bordado é o avesso é o avesso” (Jorge Vercillo e J. Velloso)

Nossa sociedade tornou-se sinônimo de agitação; já não encontramos tempo para mais nada. Desejamos que o dia tenha trinta horas, porque as 24 horas que temos parecem poucas para tantas demandas próprias do nosso cotidiano. Divorciamo-nos da paciência e hoje somos prisioneiros da pressa. Buscamos o futuro sem viver o presente. Nas tramas da vida, os bordados de nossa história são, por vezes, mal feitos e tortos.

A arte do bordado carrega em si um grande ensinamento para nossa vida. Se o avesso do bordado estiver perfeito, o bordado também estará perfeito. No entanto se o avesso do bordado estiver defeituoso, o bordado também estará imperfeito, mesmo que, ao primeiro olhar, ela pareça bonito.

Muitos corações estão com o avesso mal acabado. Há linhas de sentimentos soltas e nós de incompreensões mal arrematados. A princípio muitos seres humanos apresentam-se perfeitos, mas basta um minuto a mais na companhia destes “bordados” e descobrimos que ainda há muitas linhas soltas na alma humana. A vida agitada impediu que eles arrematassem o que ainda estava incompleto.

O bordado é um processo que tem o ritmo da paciência. Algumas peças levam muito tempo para ficarem prontas e belas. E o tempo é fundamental para quem se propõe a realizar um bom trabalho. O processo de vivenciar o tempo é fundamental na vida de quem deseja que seu avesso seja arrematado com perfeição. O fruto verde não amadurece antes do tempo que lhe cabe. Nossos sentimentos precisam se reconciliar com as estações de nossa alma. Colher o que ainda está verde prejudica o sabor das experiências maduras.

O avesso de muitas pessoas está desfigurado e mal cuidado. A pressa e a busca por soluções imediatas têm prejudicado muitos na arte de se fazerem humanos. Não existe bordado perfeito se as tramas e as linhas do avesso de nossa alma estiverem mal arrematadas.

Na mitologia grega, Ariadne foi a heroína que deu a seu amado um novelo de lã para que ele conseguisse sair com vida de um perigoso labirinto – bastava seguir o fio para achar o caminho. Muitos precisam encontrar o fio da sua vida para sair dos labirintos que os aprisionam. Seguir o fio da vida é nos aventurarmos através dos labirintos de nosso avesso complexo e ainda não terminado.

O que torna o bordado de nossa vida mal terminado é a pressa em querermos ser aquilo que o tempo ainda não amadureceu. Os bordados de nossas atitudes serão tão belos à medida que permitirmos que Deus arremate, no tempo que Lhe cabe, o avesso de nossa alma. Nos bordados de nossas experiências descobriremos que o avesso de nossa alma precisa de um cuidado que se chama tempo.

 Padre da Arquidiocese de Pouso Alegre (MG). Bacharel em Filosofia pela PUCCAMP.

Teólogo pela Faculdade Católica de Pouso Alegre (MG)

Publicado originalmente em: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=1253

Igreja no mundo: Cerimônia de traslado da relíquia de João Paulo II é realizada

Neste sábado, dia 22, será celebrada pela primeira vez na Igreja Católica a memória litúrgica do Beato João Paulo II. Em razão da data comemorativa, aconteceu na quinta-feira, 20, à tarde, na Capela do Hospital Pediátrico “Bambino Gesù”, em Roma, com a presença do secretário de Estado vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, a cerimônia de traslado da relíquia do novo beato pontífice.  

O relicário contendo a amostra de sangue de João Paulo II, retirada dias antes de sua morte, será transportado de uma das instalações do “Bambino Gesù” para a capela do mesmo hospital. Lá ficará exposto para a veneração dos pequenos pacientes, seus familiares e funcionários. 

A amostra de sangue do Papa João Paulo II foi conservada em quatro pequenos recipientes. Dois deles permaneceram à disposição do secretário particular do Papa João Paulo II, Cardeal Stanislaw Dziwisz; os outros dois ficaram no Hospital “Bambino Gesù”, devotamente guardados pelas freiras que ali trabalham.

Na cerimônia de beatificação de João Paulo II, o relicário com uma dessas ampolas restantes foi trasladado até o “Sacrário”, isto é, uma Capela das Relíquias que se encontra na Basílica vaticana. A ampola que ficará exposta, a partir de hoje, na Capela do Hospital “Bambino Gesù” é a última das relíquias do Papa Wojtyla.

As duas ampolas do sangue entregues ao Cardeal Dziwisz se encontram em Cracóvia, a cidade metropolitana onde o então Cardeal Karol Wojtyla foi bispo e de onde partiu para o conclave de 1978 que o escolheu como Papa. As mesmas também estão guardadas em um relicário. Um deles ficará permanentemente na Capela dedicada ao Beato Wojtyla, no Centro de João Paulo II no Santuário de Lagiewniki em Cracóvia. O outro ficou por alguns dias, no final de agosto passado, na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, no México, o primeiro país visitado pelo Papa polonês.

Conforme comunicado emitido pelo porta-voz vaticano, Padre Federico Lombardi, no dia 26 de abril, um pouco antes da beatificação de João Paulo II, que aconteceu no dia 1º de maio, “o sangue se encontra ainda no estado líquido, circunstância que se explica pela presença de uma substância anticoagulante que estava nas provetas no momento da retirada do sangue”.

Com informações de www.a12.com

CNBB já trabalha no texto da Campanha da Fraternidade de 2013

A Secretaria Executiva da Campanha da Fraternidade, juntamente com a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude e o Setor Universidades, todos pertencentes à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e representantes de universidades católicas e convidados se reuniram no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF), nos dias 18 e 19, para debater sobre o texto base da CF de 2013, que terá como tema “Fraternidade e Juventude”.

Mais de 20 pessoas, vindas de todo o país, participaram desta primeira reunião, que teve como meta debater assuntos ligados à juventude e aprovar o objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2013.

Segundo o secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, uma das preocupações do encontro foi buscar compreender um pouco mais o mundo em que vive os jovens de hoje. “Abordamos, na reunião, panoramas da juventude, no contexto atual de mudanças profundas e procuramos perceber elementos do impacto das novas redes sociais entre os jovens.

Nós nos preocupamos ainda com a exclusão digital de parcela da população jovem e tratamos, com muita preocupação, da violência que tem se tornado frequente e corriqueira entre a juventude”, disse.

O Setor Universidades dando continuidade ao dialogo e a parceria que se estabeleceu entre as Universidades Católicas e a CF, estiveram presentes, na reunião, com representantes da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) PUC-Paraná, PUC-Goiás, PUC-São Paulo e Universidade Salesiana (Unisale) de São Paulo e a secretaria do Ensino Superior da Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC).

Foi destacada durante o encontro a palestra dada pela professora Maria Isabel da PUC-Rio. Ela fez uma pesquisa de tendência, ou seja, ela analisou as tendências do trabalho em um futuro.

“Não há duvidas de que passamos por uma verdadeira mudança de época. O periódico das redes sociais, da democratização dos conhecimentos. A revolução tecnológica e a cultura midiática, proporciona novas linguagens que trazem uma nova configuração. É uma nova época com nova linguagens e compreender não só os instrumentos, mas perspicácia para compreender o que provoca essa mídia no pensamento”, destacou o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Eduardo Pinheiro.

Com informações da CNBB

Vinte e seis primaveras do dia mais juvenil

A juventude brasileira celebrará no dia 30 de outubro a 26ª edição do Dia Nacional da Juventude (DNJ)

“Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira.” (Che Guevara)

Em outubro de 2010, a juventude brasileira viveu de forma intensa o jubileu de 25 anos de celebração do Dia Nacional da Juventude, popularmente conhecido como DNJ. Um caminho percorrido ao longo da história pelas Pastorais da Juventude e trilhado pelos/as próprios/as jovens e amigos/as da juventude em todas as regiões do Brasil.

O DNJ começou em 1985, motivado pela declaração da ONU, do Ano Internacional da Juventude, lideranças da Pastoral da Juventude ousaram e iniciaram a celebração do DNJ com o lema “construindo uma nova sociedade”. As mesmas lideranças também decidiram que a partir deste ano, no final de outubro aconteceria anualmente o Dia Nacional da Juventude. Passadas algumas edições do DNJ, a Igreja do Brasil assumiu-o como “atividade permanente” da CNBB.

Nestes 25 anos de história, muito aconteceu! Nos mais diversos espaços das dioceses brasileiras, muitas pessoas e organizações se envolveram na realização do DNJ. Muitos foram os temas abordados enriquecendo a cada ano a história do DNJ e animando a juventude na defesa da vida. Os principais eixos abordados foram: sociedade, terra, participação, educação, trabalho, América Latina, ecologia, AIDS, cultura, cidadania, direitos humanos, dívidas sociais, políticas públicas, meio ambiente, meios de comunicação, extermínio da juventude e celebrando a memória – transformando a história. Para explicar o porquê das temáticas listadas, utilizo de parte do texto do Pe. Hilário Dick sobre o jubileu do DNJ:

“[…] pode-se dizer que atrás dos temas dos Dias Nacionais de Juventude se esconde a história deles. Os temas nunca foram intra-eclesiais. Os DNJs encarnam o espírito missionário dos grupos de jovens das Pastorais de Juventude do Brasil falando das realidades que machucam a juventude e o povo em geral, e que nunca foram, simplesmente, um “para nós”, mas um “para a juventude”, vivendo a vocação de fermento na sociedade. Só quem compreende este espírito vai compreender porque o DNJ não tem e nunca teve como temas centrais Jesus Cristo, Igreja, Sacramentos, Eucaristia ou outros temas mais teológicos. Não que se negue a esses, mas o que se afirma é a necessidade de apresentar uma Teologia e uma Espiritualidade que se mistura com a realidade juvenil e do povo.”

Por ocasião da comemoração dos 25 anos do DNJ algumas iniciativas foram feitas como meio de potencializar ainda mais a vivência deste marco da ação pastoral juvenil. Dentre elas destacamos duas ações muito significativas, o site criado pela Rede Brasileira de Centros e Institutos de Juventude, espaço com muitas informações sobre a história dos DNJs, mensagens por ocasião do jubileu e materiais para auxiliar a vivência da atividade. Estes materiais podem ser conferidos no endereço: www.dnj25anos.redejuventude.org.br. A outra ação a ser destacada foi feita pela Pastoral da Juventude, por meio de um grande mapeamento nas dioceses brasileiras, relatando quantidades, locais, organizadores dos DNJs no país. O envolvimento da juventude nas duas iniciativas foi além das expectativas e após a conclusão dos estudos no mapeamento, apresentamos alguns dados do DNJ em 2010.

Mapeando o jubileu…

Durante cerca de seis meses, outubro/11 a março/12, recebemos informações a cerca dos DNJs realizados. Os conteúdos chegaram pelo e-mail criado para o mapeamento, pelo site da Pastoral da Juventude e também por mensagens de lideranças nos e-mails e redes sociais.

Destaca-se no mapeamento a participação das coordenações de PJ nos regionais da CNBB, elencando informações de todos os estados brasileiros, trazendo um cenário de todo o território nacional. A partir deste envolvimento e do quantitativo mapeado, poderemos afirmar com mais exatidão que o DNJ continua sendo a maior ação pastoral juvenil no Brasil.

Em 2010, o DNJ reuniu cerca de 200 mil pessoas em 164 dioceses, sendo que somente 20 dioceses retornaram com a informação de que não realizaram a atividade e o restante não obtivemos informações precisas. Acreditamos que o número pode ser muito maior, podendo aumentar significativamente, ainda mais pelo fato que a motivação para o mapeamento foi mais interna do que externa, a comunicação da PJ ainda precisa ser potencializada e também o formato utilizado foi apenas virtual. Com a evolução de nossos trabalhos, podemos com certeza, em uma próxima oportunidade alcançar muitas dioceses sem acesso à comunicação adequada ou que até então estavam sem o contato com a organização regional.

A iniciativa também trouxe informações importantes quanto à organização do DNJ no Brasil, das 164 dioceses que realizaram a atividade a PJ organizou em 73%, em 119 dioceses. Nas 45 dioceses restantes, 27% do mapeado, o evento foi organizado em conjunto pelo Setor Juventude diocesano. Os cinco regionais com maior mobilização foram o Leste 2 (MG e ES) com 31% (63.000), seguido do Nordeste 3 (BA e SE) com 16% (32.000), Sul 2 (PR) com 14% (28.050), Sul 1 (SP) com 8% (16.000) e Nordeste 1 (CE) com 4% (8.000).

Listando as dioceses temos em primeiro lugar um número expressivo a Igreja local de Juiz de Fora, MG (Leste 2) com 20 mil; seguida das dioceses do Sul 2 Maringá, PR com 7,5 mil e Umuarama com 7 mil; o Leste 2 tem mais cinco dioceses, sendo as três primeiras com 5 mil pessoas cada uma Cachoeiro de Itapemirim e São Mateus no Espírito Santo e Mariana em Minas Gerais, já Itabira/Coronel Frabiciano, MG e Vitória, ES reuniram 4,5 mil pessoas cada uma; Serrinha, BA no regional Nordeste 3 (BA e SE) reuniu também 5 mil pessoas; e concluindo as dez dioceses com maior mobilização do Brasil, temos Ji-Paraná, em Rondônia no regional Noroeste, com a participação de 4 mil pessoas.

2011, mais uma primavera

No dia 30 de outubro de 2011 a juventude brasileira celebrará mais uma primavera do dia mais juvenil do ano. Após o mapeamento, podemos afirmar que o Dia Nacional da Juventude é a atividade católica que consegue reunir o maior número de jovens em um único dia (ou período) em todos os estados brasileiros, em muitas dioceses do Brasil. Com certeza, temos algumas iniciativas de expressões juvenis com muita relevância, porém, acontecem em apenas um local, o DNJ não! Ele tem a capacidade de criar unidade da juventude do sul com o norte, do leste com o oeste. Todos/as realizando a mesma atividade de acordo com suas realidades, refletindo o mesmo tema. Sinal de que independente da região, sotaque, expressão juvenil que participa o importante é celebrar e anunciar a vida da juventude.

Na 26ª primavera do DNJ, somos convidados/as a refletir sobre o tema “Juventude e protagonismo feminino”, tendo como lema “Jovens mulheres tecendo relações de vida”. Momento de refletir sobre a presença e vida das mulheres, em especial das jovens mulheres de nossa sociedade. É hora de continuar fazendo acontecer! Que venham mais primaveras, que venham mais trintas de outubro, que venham mais Dias Nacionais da Juventude! Não podemos desanimar, é hora de ter coragem, assim como nos convida o saudoso Guimarães Rosa: “O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.”

Joaquim Alberto Andrade Silva
Comissão Nacional de Assessores/as da Pastoral da Juventude
 [email protected]
@joaquimaasilva