Confira um pouco mais da Mesa Redonda sobre Reforma Política

No dia 21 de julho, aconteceu nas dependências da FACAPA (Faculdade Católica de Pouso Alegre), a Mesa Redonda, sobre a Reforma Política. Este evento foi organizado pela CCST (Comissão do Compromisso Sócio Transformador) e FACAPA.

O evento contou com a presença de 135 pessoas. Participaram da mesa redonda os  palestrantes: Professor Edson Américo Pereira, titular de Filosofia Política da FACAPA, que abordou acerca do panorama político brasileiro; o professor Laudelino Augusto dos Santos, membro da CCST e Presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), que destacou os esforços para o fortalecimento da democracia e apresentou os pontos centrais da Lei de Iniciativa Popular: Coalizão pela Reforma Democrática e Eleições Limpas; e o professor de História e também membro da CCST, Magno Magalhães Pinto, que apresentou uma análise crítica da Lei em seus pontos centrais.

Em seguida, houve espaço para perguntas com o objetivo de aprofundamento da reflexão. Ao final, cada participante recebeu um certificado emitido pela FACAPA.

Se você quer colaborar e divulgar este projeto da CNBB em conjunto com diversas entidades, pode baixar neste link o artigo de Dom Joaquim Mol sobre o projeto (usado no dia do encontro) e também a folha para coleta de assinaturas.

Na próxima semana será entregue às paróquias o panfleto de conscientização sobre as eleições 2014. Divulgue em suas redes sociais:

panfletoeleiçãoverso

 

 

 

 

 

 

 

panfletoeleiçãofrente

 

 

 

 

 

 

Clique em cima das imagens para amplia-las!

 

Confira as fotos da mesa redonda:

Pastoral do Batismo realiza sua assembleia anual

Neste último domingo, 27, a coordenação arquidiocesana da Pastoral do Batismo realizou sua assembleia anual no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre.

Cento e oito agentes dos nove setores pastorais participaram da manhã de oração e formação sobre a Exortação Apostólica Alegria do Evangelho, do Papa Francisco. O encontro foi conduzido pelo prof. Giovanni Marques do corpo docente do Colégio São José e da Facapa.

Nesta assembleia foi apresentada aos agentes a nova coordenação da Pastoral do Batismo que tem Maria Helena Rosa como coordenadora e Terezinha Alves como vice.  Côn. Wilson Morais continua como assessor espiritual.

A Coordenação Arquidiocesana da Pastoral do Batismo agradece a todos os agentes pela dedicação, disponibilidade e à paróquia São José Operário, na pessoa de seu pároco, Pe. Omar Siqueira, pela acolhida no momento da Celebração Eucarística.

Em breve, no canal downloads do site, o material usado no encontro será disponibilizado.

Confira algumas imagens:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Missa de Acolhida do novo Arcebispo será transmitida pela TV Aparecida

Nossa arquidiocese se prepara para acolher  no próximo sábado, dia 02 de agosto, às 16h,  na Catedral Metropolitana do Bom Jesus, Dom José Luiz Majella Delgado, C.Ss.R, o seu novo Arcebispo Metropolitano nomeado pelo Papa Francisco para conduzir a  Arquidiocese de Pouso Alegre. A celebração será transmitida ao vivo pela TV Aparecida, Rádio Aparecida, Radio Difusora de Pouso Alegre, Rádio Paraisópolis, WebRádio 13 de maio, Rádio Santa Rita FM e pelas rádios da Diocese de Jataí (Radio Difusora de Jataí, Rádio Santelense e Rádio Sul Goiana.

Comunicadores da Arquidiocese participam de Encontro Nacional da Pastoral da Comunição

pascom7A cidade de Aparecida (SP) recebeu, de 24 a 27 de julho, aproximadamente de 900 comunicadores católicos de todo o Brasil, dentre eles, 3 comunicadores da Arquidiocese de Pouso Alegre, que participaram do 4º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (Pascom) e do 2º Seminário Nacional de Jovens  Comunicadores. Promovidos pelas Comissões Episcopais para a Comunicação e Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os eventos tiveram como tema “Comunicação, desafios e possibilidades para evangelizar na era da cultura digital”.

O arcebispo de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, ressaltou a relevância e os frutos do encontro. Segundo o bispo, o evento gerou uma grande esperança, pois o número de participantes ultrapassou as expectativas. Para dom Dimas, a adesão confirma o que Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil se propõe: criar uma cultura da comunicação na Igreja no Brasil.

“Assumimos a consciência de que vivemos, como disse o papa emérito Bento XVI, num continente digital, passamos a entender que a Internet não é um mero instrumento, mas uma ambiência na qual as novas gerações são formadas. Mais uma vez precisamos adequar a linguagem do Evangelho anunciado para que ele seja interessante e inteligível às novas gerações, sobretudo dos nativos digitais. A Comissão para a Comunicação e Juventude, trabalhando de mãos dadas, só pode produzir bons frutos”, disse dom Dimas. O bispo lembrou também a mensagem enviada pelo papa Francisco, em que afirma não ser suficiente a rede de computadores, quando se faz necessário fortalecer a rede de pessoas.

Diretamente de Roma, por meio de videoconferência, o presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, dom Claudio Maria Celli, recordou aos participantes que a Igreja cresce por meio da atração fraterna, do testemunho. Segundo dom Celli, este é o tema forte da teia comunicativa da Igreja. O bispo citou a mudança cultural que as tecnologias oferecem, por já não serem instrumentos, mas ambientes de vida onde a Igreja precisa ser presença.

Já o diretor da Revista Civvittà Cattolica e escritor da área de web, padre Antonio Spadaro, em sua conferência, falou que “a Internet não existe, a rede não existe! O que existe são pessoas interagindo”. Para Spadaro, a Igreja não é chamada a ser moderna, mas interpretar teologicamente a rede e compreender como essa realidade está presente no plano de Deus para a humanidade. “Esta é a tarefa para a qual fomos chamados”, acrescentou.

De acordo com o padre, o desafio trazido pela era digital está em como viver nos tempos de rede, no qual comunicar não é somente transmitir a mensagem, mas sim compartilhar, interagir.

Spadaro apontou a modificação do esquema de comunicação feita pelo papa Francisco, já no dia de sua eleição. “Aquele que vinha para dar a benção aos que estavam na praça à sua espera é o que primeiro pede para que por ele rezem e se inclina. Comunicação não é mais o envio de uma mensagem, mas a interação. Não há comunicador e receptor, e sim interações”, lembra Spadaro. Para ele, “a comunicação de Francisco se dá com a totalidade do ser não somente com a palavra, mas no olhar, nos gestos, no sorriso, em seu rosto”.

Ao pensar na dimensão da comunicação da Igreja, a assessora nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, irmã Élide Maria Fogolari, analisou a evolução do encontro, que começou com 140 pessoas na primeira edição e viu o número de participantes aumentar a cada ano. “Avalio a partir desse crescimento de participantes que a comunicação está se articulando de forma consciente, profunda e profissional na Igreja do Brasil. Podemos dizer que a comunicação está se concretizando e estamos conseguindo criar a cultura da comunicação que já começa a fazer parte dos valores e da vida e da dinâmica da Igreja”, avalia.

Para o assessor nacional da Comissão para a Comunicação, padre Clovis Andrade de Melo, o maior fruto do encontro é perceber que os participantes saem entusiasmados e conscientes da importância da missão de evangelização no ambiente digital. “Diante das reflexões, desfez-se a ideia de estar em várias redes sociais e entendeu-se que é preciso ser presença de testemunho e coerência no ambiente digital, que isso sim faz a diferença. Não basta colocar conteúdo, é a presença do cristão que testemunha com exemplo e atitude que ganha força maior”. O assessor afirmou que o encontro teve fim ontem, mas é apenas o início de uma nova etapa para a missão dos comunicadores.

Fonte: www.cnbb.org.br e informações e fotos da Pascom Arquidiocesana

A mensagem do Papa Francisco para o IV encontro da PASCOM

pascom“É necessário que no mundo digital o anúncio do Evangelho seja seguido pela oferta de um encontro pessoal com Cristo, um encontro real e transformador”. Foi o que auspiciou o Papa Francisco na mensagem – assinada pelo Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin – aos participantes do IV Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (PASCOM) e do 2º Seminário Nacional de Jovens Comunicadores, realizado em Aparecida desde o dia 24 de julho. O tema de reflexão ao longo do encontro é “Comunicação, desafios e possibilidades para evangelizar na era da cultura digital”.
O objetivo dos trabalhos dos dois encontros – a serem concluídos no próximo domingo, 27 – é a pesquisa de novos caminhos para formar e motivar os agentes da pastoral das comunicações no Brasil. O encontro – do qual participam bispos, sacerdotes, religiosos e leigos comprometidos no setor – realiza-se no aniversário da visita do Papa Francisco ao Brasil por ocasião da JMJ.
A experiência vivida no Rio de Janeiro inspirou a mensagem do Papa quando – ao citar a homilia da Missa celebrada em 27 de julho na Catedral do Rio de Janeiro – exortou a “não permanecermos fechados na paróquia, nas nossas comunidades, na nossa instituição paroquial ou na nossa instituição diocesana, quando tantas pessoas estão na espera do Evangelho! Sair enviados. Não é simplesmente abrir a porta para que venham, para colher, mas é sair pela porta para buscar e encontrar!”.
Um convite para “sair”, também dirigido ao mundo digital. “Nenhum caminho pode, nem deve, ser obstruído – explica a este propósito a mensagem – a quem, em nome de Cristo Ressuscitado, se empenha em tornar-se sempre mais solidário com o homem. Com o Evangelho na mão e no coração, é necessário reafirmar que é tempo de continuar a preparar caminhos que conduzam à Palavra de Deus, não descuidando de dirigir uma atenção especial a quem ainda vive em uma fase de busca”.
“De fato – prossegue a mensagem – uma pastoral no mundo digital é chamada a levar em consideração também aqueles que não crêem, caíram no desespero e cultivam no coração o desejo do absoluto e da verdade não efêmero, dado que as novas mídias permitem entrar em contato com seguidores de todas as religiões, com não-crentes e pessoas de todas as culturas”.
“Por isto, em tal contexto, os canais digitais são um campo fundamental na nova “saída” missionária”, afirma o Papa Francisco na Evangelii gaudium (n. 20), à qual – sublinha – todos somos chamados”. Neste sentido, exorta os agentes da pastoral da comunicação “a unirem-se, com confiança e com criatividade consciente e responsável, à rede de relações que a era digital tornou possível”.
O Pontífice indica aos comunicadores brasileiros também as modalidades concretas para fazer isto: de um lado, fornecendo os meios necessários para aprender a linguagem particular deste ‘aerópago’, e de outro reconhecendo “o primado da pessoa”. “Sem esquecer – conclui o Bispo de Roma – que o continente digital, antes de ser uma mera realidade tecnológica, é antes de tudo um lugar de encontro entre homens e mulheres, cujas aspirações e desafios não são virtuais, mas reais, e tem necessidade de uma resposta concreta”.

Comissão arquidiocesana e Faculdade Católica promovem mesa redonda

DSC04425Em parceira, a Comissão do Compromisso Sociotransformador (CCST) da Arquidiocese de Pouso Alegre e a Faculdade Católica de Pouso Alegre promoveram uma mesa redonda sobre a reforma política. O evento foi realizado no dia 21 de julho, das 19h30 às 22h, no Auditório da Faculdade.

Os convidados que debateram o tema (foto ao lado) foram os professores Edson Américo (Faculdade Católica), Laudelino Augusto (Itajubá) e Magno Magalhães Pinto (Santa Rita do Sapucaí). O evento foi aberto a todos os interessados. Cerca de cem pessoas participaram da mesa redonda, entre políticos, membros de movimentos sociais, educadores e estudantes.
Em todo o Brasil, várias instituições e movimentos sociais se reúnem em torno do tema da reforma política, entre elas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Neste link, você confere artigo publicado no site da CNBB sobre o assunto. A campanha de coleta de assinaturas para o projeto de reforma política oferece um modelo de formulário, que você encontra na página eletrônica da Arquidiocese de Belo Horizonte para impressão e coleta de assinaturas.

Acompanhe na integra como foi o evento:

Mesa Redonda sobre Reforma Política – Facapa e Arqui-PA by 13 De Maio | Paróq. De Fátima on Mixcloud

Fonte: www.facapa.edu.br e webradio13demaio

Falecimento do Pai do Pe Agenor

ressurreição“Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente”. (João 11,25-26)

Comunicamos o falecimento do Sr. Pedro Mariano da Silva, conhecido como Pedro Melo, pai do Padre Agenor.  A celebração da missa exequial será às 09h da manhã na Matriz de São José em Congonhal, MG. O corpo está sendo velado em sua residência no Bairro dos Marianos, município de Senador José Bento, MG.

É na firme esperança da ressurreição que expressamos nossos sentimentos nesse momento da passagem do querido pai de nosso irmão no ministério Padre Agenor.

Dom Majella fala sobre a expectativa para a nova missão

dommajellaO Papa Francisco nomeou, no final do mês de maio, Dom José Luiz Majella Delgado, como arcebispo de Pouso Alegre (MG), transferindo-o da diocese de Jataí (GO).

Dom José Luiz Majella Delgado é natural de Juiz de Fora (MG), nascido em 19 de outubro de 1959. Membro da Congregação do Santíssimo Redentor, Dom José Luiz recebeu no dia 29 de junho, em Missa presidida pelo Papa Francisco na Basílica de São Pedro no Vaticano, a imposição do “Palio”.

Em entrevista ao portal A12.com, o novo arcebispo de Pouso Alegre que toma posse no próximo dia 02 de agosto, falou sobre as expectativas, desafios e projetos para a nova missão.

A12 – Qual o seu lema episcopal e como pretende honrá-lo na Arquidiocese de Pouso Alegre?

Dom Majella – “Per caritatem servire”, “servir por amor” (cf. Gl 5,13). Desejo concentrar o ministério episcopal no serviço por amor, isto é, não entregar tudo passivamente às mãos da Providência, mas empenhar-me arduamente, sobretudo no trabalho apostólico. O “amor serviço aos outros” é o projeto de Deus revelado em Jesus Cristo, que no lava-pés (cf. Jo 13,1-12) se traduz em ação concreta. Porém, o “lava-pés” de Jesus se prolonga até a cruz, e nela tem seu ponto culminante. É a expressão máxima do amor: “dar a vida”. É na pequenez “dos servos amigos de Jesus” que desejo tecer relações de encontro e confronto com os sacerdotes e todo o povo na construção de uma sociedade sempre mais próxima do Reino do Deus.

A12 – Qual a expectativa do senhor para a Arquidiocese de Pouso Alegre?

“Como Igrejas missionárias precisamos sempre avançar para as águas mais profundas – sem medos – em busca de tantos destinatários do Evangelho”.

Dom Majella – É uma nova experiência, o que gera inquietações e ansiedades. Tenho consciência das minhas fragilidades, por isso busco o refúgio no Senhor que nos diz: “Eu conheço aqueles que escolhi” (Jo 13,18). É Nele que busco forças, pois a oração é o meu alimento, em especial a Eucaristia. Desejo caminhar junto com todos os que já trabalham na Arquidiocese, clero, religiosos (as), agentes das Pastorais e Movimentos eclesiais, seminaristas, sempre em comunhão com a Igreja, com o Santo Padre, com os Bispos do Regional Leste II da CNBB, e com as equipes de trabalho, ministérios, associações religiosas e com todo o povo e autoridades dos 45 municípios que compõem a Arquidiocese de Pouso Alegre. Quero com muito respeito caminhar com as Dioceses sufragâneas, Campanha e Guaxupé, assumindo as suas histórias. Como Igrejas missionárias precisamos sempre avançar para as águas mais profundas – sem medos – em busca de tantos destinatários do Evangelho. Quero que o meu ministério, nesta região do Sul de Minas chegue às “periferias existenciais e pastorais”, sendo um “serviço à Esperança” neste mundo de tantos desencantos. Peço a oração de todos para que, através do meu pastoreio, seja feita a vontade de Deus nessa Arquidiocese.

A12 – Como a espiritualidade redentorista influenciará no seu episcopado em Pouso Alegre?

Dom Majella – A espiritualidade redentorista é continuar o exemplo de Jesus Cristo Salvador. É ser presença. Por isso que é essencialmente missionária. Desejo seguir o exemplo do Senhor atendendo de modo especial os pobres, os humildes e os sofredores. Almejo continuar empenhando para expressar em minha vida o zelo apostólico de Santo Afonso de Ligório, o fundador da Congregação do Santíssimo Redentor. Tenho consciência de que sou chamado a continuar a presença de Cristo e sua missão de Redenção no mundo, por isso escolhi a pessoa de Cristo como centro de minha vida. É meu desejo ser transparência do Redentor. Assim quero pautar a minha vida de bispo na Arquidiocese de Pouso Alegre. O Papa Francisco, no discurso aos bispos do CELAM, no Rio de Janeiro por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, disse o que deve ser (e não ser) o Bispo: “Ele deve guiar, que não é o mesmo que dominar”. Continuando o pensamento do Papa: “os bispos devem ser Pastores, próximos das pessoas, pais e irmãos, com grande mansidão: pacientes e misericordiosos.” Assim, quero estar atento aos sinais dos tempos, sendo na Arquidiocese um companheiro e ministro de Jesus Cristo na obra da Redenção.

A12 – Como fazer com que as paróquias sejam mais missionárias, como pediu o papa Francisco?​

“Acredito que para a paróquia ser mais missionária é preciso que todos, os párocos, os conselhos, os movimentos estejam motivados e conscientes, em sintonia e comunhão”.

Dom Majella – Acredito que para a paróquia ser mais missionária é preciso que todos, os párocos, os conselhos, os movimentos estejam motivados e conscientes, em sintonia e comunhão. Como afirma o Papa Francisco na exortação apostólica Evangelii Gaudium, “a Paróquia precisa fazer a sua “conversão pastoral e missionária”, para expressar melhor a sua vida e missão nos tempos atuais”. Que os padres tenham claro o que pede a Igreja e que, em sintonia com o presbitério, queiram realmente dar passos decididos. E, é claro, que os leigos, que são a maioria do povo de Deus, também devam ser motivados e formados, comprometidos e unidos. A Igreja missionária deve ser próxima das pessoas, acolhendo a todos com bondade, misericórdia, perdão, acompanhamento, sem exclusão de ninguém.

A12 – A diferença entre o perfil das cidades (Diocese de Jataí/Arquidiocese de Pouso Alegre) muda a receptividade à evangelização?​

Dom Majella – Ainda não conheço a realidade sócio-econômica-eclesial de Pouso Alegre. É fato de que precisamos encontrar caminhos de evangelização que atendam as diversas realidades diocesanas. Certamente encontrarei dificuldades. Mas, almejo olhar as paróquias para conhecer as diferentes realidades, ver quais as atividades, práticas pastorais, iniciativas que favoreçam um encontro pessoal e profundo com Jesus Cristo. Como na região do Sudoeste goiano foi necessário encontrar formas de colocar em prática a ação evangelizadora envolvendo o maior número possível de fieis na nova consciência de Igreja, uma Igreja servidora, aberta, acolhedora, animada e dedicada ao crescimento do Reino de Deus, acredito que também no Sul de Minas não será muito diferente. E, com o bom povo mineiro iremos traçar as propostas e caminhos de ação para que todas as comunidades caminhem juntas.

A12 – O senhor tem algum projeto em vista para a Arquidiocese?

Dom Majella – Continuar caminhando com as resoluções das últimas Assembleias arquidiocesanas, agindo com determinação e entusiasmo. Aqui está a motivação para buscar os meios bem práticos de reforço da estrutura paroquial, de unidade das igrejas em comunidades sólidas, com intensa participação e articulação dos movimentos e pastorais. É isto que nos possibilita ter cristãos mais ativos, preparados, comprometidos e conscientes.

Fonte: Valquíria Vieira www.a12.com

Paróquia de Borda da Mata acolhe seu novo vigário

domricardo2No dia 05 de julho, sábado, às 19h em uma bela celebração eucarística presidida por Dom Ricardo Pedro, nosso administrador apostólico, na Basílica de Nossa Senhora do Carmo em Borda da Mata, contando com a participação do povo bordamatense e os visitantes das cidades de Poço Fundo, entre os quais a família de Pe. Marcos e outras pessoas de Itajubá, foi apresentado o novo vigário paroquial: o Pe. Marcos Eduardo Caliari. O qual irá trabalhar com o Côn. Vonilton Augusto Ferreira (pároco) e o Pe. José Luiz Faria Junior (vigário). Pe. Marcos antes de ser transferido para Borda da Mata, trabalhava na Paróquia Sagrada Família em Itajubá. Foi momento forte de bênçãos de Deus e da Senhora do Carmo.

 

Confira abaixo a homilia de Dom Ricardo Pedro:

Confira também algumas fotos da apresentação do Pe. Marcos Caliari

Mais fotos no facebook da Basílica de Nossa Senhora do Carmo de Borda da Mata

Fonte/fotos: Pe. Marcos Caliari

Comunicamos o falecimento de João Batista Morais pai do Côn. Mauro Morais e Pe. Leonino Morais

ressurreicao“Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente”. (João 11,25-26)

Comunicamos o falecimento de João Batista Morais, conhecido como João Vicente, pai do  Côn. Mauro Morais e Pe. Leonino Morais ontem a noite.  A celebração da missa exequial será às  às 15h na Matriz de São José em Congonhal, MG.

É na firme esperança da ressurreição que expressamos nossos sentimentos nesse momento da passagem do querido pai de nossos irmãos no ministério Côn. Mauro Morais e Pe. Leonino Morais.