Centenas de agentes participam do mutirão de Liturgia

concentracaoliturgia_271116Cerca de 320 pessoas, representantes de diversas paróquias da Arquidiocese de Pouso Alegre, participaram neste domingo, 27, do primeiro Mutirão de Liturgia organizado pela Comissão Arquidiocesana de Liturgia (CAL). O encontro ocorreu na Casa de Oração Monsenhor Mauro Tomasinni em Pouso Alegre.

O primeiro Mutirão de Liturgia teve início às 8h30 com a Celebração Eucarística presidida pelo Vigário Geral da Arquidiocese de Pouso Alegre, Cônego Wilson Mário de Morais. Ele também justificou a ausência do arcebispo, Dom Majella, que estava com compromissos em Monte Sião.

Logo em seguida, padre Vanildo de Paiva fez a primeira colocação do encontro sobre o tema “Comunhão dos ministérios na liturgia”. Após esse primeiro momento, os participantes tiveram a oportunidade de partilhar suas reflexões feitas e indagações sobre a primeira colocação.

Às 11h30 o professor Giovanni Marques conversou com os participantes sobre “Espiritualidade litúrgica”.

Após o almoço, às 14h, foram realizados os laboratórios de liturgia. Os participantes puderam escolher entre cinco laboratórios, formando dez grupos com cerca de 30 participantes em cada: Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, Proclamadores da Palavra, Presidência da Celebração da Palavra, Canto litúrgico ou Servidores do altar.

 

Com informações e fotos: Dalila Lopes – Pascom Santuário Nossa Senhora de Fátima e São Francisco de Paulo de Ouro Fino

 

 

Milhares de fiéis participam da festa em Monte Sião

festapadroeira_2016-3A novena e festa em louvor à Nossa Senhora da Medalha Milagros, em Monte Sião, contou a participação de milhares de fiéis durante todos os dias. Entre os dias 18 e 26 de novembro, romeiros e devotos puderam participar da novena. As missas foram celebradas por diversos padres que ajudaram a todos a refletir sobre a pessoa de Maria.

“Vários Padres estão passando por esse Santuário, refletindo a pessoa de Maria, Filha eleita de Israel (Padre Renato Petrocco), Mãe: Missionária (Frei Rothmans), do Salvador (Padre Valter Luis de Oliveira), da Esperança e da Vida (Padre Manoel Ferreira), dos Humildes (Padre Andrey Niciolli), da Reconciliação (Padre Cleber Leandro), Auxílio da Igreja (Padre Guilherme Gouvêa), Amparo da Fé e dos Sofredores(Dom Majella), Senhora das Graças e Mãe de Misericórdia (Dom Majella e Dom Ricardo Pedro)”, explicou o pároco e reitor, padre Rodrigo Carneiro.

Romarias de várias localidades participaram das Missas da Festa, no último dia 27.  Cerca de 200 Romeiros de Monte Sião fizeram a peregrinação de Aparecida até Monte Sião, numa caminhada de seis dias.

E os pequenos devotos também tiveram uma acolhida especial.

“A catequese está realizando um trabalho com as crianças, chamado ‘Evangelização Infantil’no horário em que os pais estão participando da missa”, explicou padre Rodrigo.

Durante a novena também foi rezado o Terço e feita a encenação de uma das aparições de Nossa Senhora à Santa Catarina Labourè em alguns dias, e Adoração com Benção do Santíssimo em outros. No dia 27 de novembro, após a missa das 18 horas, presidida por Dom José Luiz Majella, ocorreu a procissão luminosa com a imagem da Medalha Milagrosa pelas ruas da cidade.

Paróquias se preparam para a Novena de Natal 2016

capanovenanatal2016As comunidades de todas as Paróquias da Arquidiocese de Pouso Alegre já estão se articulando para rezarem a Novena de Natal, que este ano traz o tema “Resplandeceu a luz sobre nós, porque nasceu Cristo Salvador”.

“A Igreja que caminha rumo ao Reino definitivo tem a alegria de celebrar sua fé na presença de Jesus Cristo em todas as circunstâncias da vida. Cada vez que paramos para fazer um momento de oração é o próprio Deus que nos convoca a meditarmos este mistério tão profundo. O mistério de nossa fé”, afirma a Comissão de Formação da Arquidiocese na apresentação do livro que traz a novena.

A novena pode ser celebrada em famílias, nas comunidades, setores e tantos outros lugares. O esquema proposto segue os passos da Leitura Orante da Bíblia. A sugestão é de que o início da novena ocorra no dia 28 de novembro e o encerramento seja celebrado no dia 23 de dezembro. Sugere-se, também, que a celebração de abertura e se dê na Igreja Matriz de cada Paróquia e o encerramento seja marcado por uma confraternização em cada comunidade ou setor com a presença de todas as famílias e os grupos da novena.

“O Natal é um desses tempos em que nossa espiritualidade se fortalece pelo encontro e pela oração. O encontro de irmãos, amigos e familiares é sempre encontro de unidade e paz. A novena de Natal é a oração de preparação para vivenciarmos com maior profundidade a alegria do nascimento de Jesus. Portanto, que esse tempo de encontro de irmãos nos leve à oração, e que a oração transforme nossos corações em verdadeiras manjedouras para acolher o menino Jesus”, escreve a Comissão de Formação.

CF 2017 será refletida em encontro arquidiocesano

encontroformacao_cf2017A Comissão da Vida Plena para Todos convida as paróquias, pastorais, movimentos eclesiais e demais interessados para o Encontro Arquidiocesano da Campanha da Fraternidade 2017 (CF 2017). O evento será realizado no dia 18 de dezembro de 2016, das 8h às 16h, no Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora Auxiliadora (Av. Mons. Mauro Tomasinni, 75, Bairro São Carlos, Pouso Alegre).

O assessor do encontro será o Padre Nelito Dornellas, da Diocese de Governador Valadares. O tema da CF 2017 é “Biomas Brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação (Gênesis 2,15)”. O objetivo desta Campanha é promover o cuidado da criação de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos à luz do Evangelho.

“Propomos este encontro como forma de contribuir para a conscientização e mobilização de cristãos e cristãs e de homens e mulheres de boa vontade, na construção de um projeto onde toda a criação possa ter vida plena”, afirma o padre Paulo Adolfo Simões, na carta convite.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 09 de dezembro de 2016. Clique aqui e faça a sua inscrição!

O evento terá uma taxa de R$ 20,00 por pessoa.

Pastoral da Sobriedade realiza curso de capacitação

sobriedade_nov2016A Pastoral da Sobriedade da Arquidiocese de Pouso Alegre realizará entre os dias 16 e 18 de dezembro um encontro de capacitação para novos agentes, visando aumentar de paróquias atendidas por este trabalho. O encontro ocorre na Obra Social Guadalupe (RCC) na Paróquia São José Operário, em Itajubá (clique aqui e veja como chegar).

O encontro ocorre com o intuito de implantar mais pastorais “devido ao aumento dos casos de dependências químicas e outras dependências, em toda nossa região de maneira assustadora, principalmente entre os jovens”, afirma o convite. Os municípios de Itajubá, Santa Rita do Sapucaí e Maria da Fé já desenvolvem trabalhos frutuosos com a Pastoral da Sobriedade.

O curso será ministrado por um casal de formadores autorizados pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) (Fernando e Penha), tendo como lema: “fazer dos excluídos os nossos preferidos, através da Pastoral da Sobriedade!”. O início do encontro, dia 16 de dezembro, será às 19h, enquanto o encerramento será no domingo, 18, às 17h, ambos com Missa presidida na Paróquia São José Operário.

O investimento é de R$ 30,00 por pessoa, o que inclui alimentação e materiais. É necessários que os participantes levem roupa de cama e banho, cobertor, materiais de higiene pessoal, Bíblia e material de anotação. As inscrições se encerram no dia 10 de dezembro. Informações pelos telefones: (35)9 9180-1081 e (35)9 9853-1075, e falar com Marcelo. E-mails para enviar inscrições: [email protected]

Pede-se que cada Paróquia envie pelo menos quatro pessoas.

Pastoral Vocacional define datas para 2017

encontroagentes_201116_1A Pastoral Vocacional Arquidiocesana divulgou no último domingo, 20, as datas e eventos para o ano de 2017. O anúncio ocorreu durante o II Encontro com os agentes da PV ocorrida no Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora Auxiliadora.  Na oprotunidade, também foi refletido o plano de Ação Evangelizadora da Pastoral Vocacional Arquidiocesana. Cerca de 50 pessoas participaram do encontro.

Aa coordenação arquidiocesana da Pastoral Vocacional é formada pelo Padre Ivan Paulo Moreira (Reitor do Seminário) e pelos seminaristas que cursam o 2º ano de Filosofia: Christopher Tercilo, Cristian Diego Rosa, Fillype Mendes, Rafael Rodrigues, Tomé Bruno Pires e Vinicios Vasconcelos.

Calendário 2017:
26/03 –
I Encontro Vocacional para rapazes e moças – no Seminário, 09h – 15h
23/04 – I Encontro com os Agentes de Pastoral Vocacional – no Seminário, 09h – 15h
11/06 – II Encontro Vocacional para rapazes e moças – no Seminário, 09h – 15h
19/08 – Encontro com os Padrinhos e Madrinhas de Oração – no Seminário, 14h30 – 19h
17/09 – III Encontro Vocacional para rapazes e moças – no Seminário, 09h – 15h
12/11 – II Encontro com os Agentes de Pastoral Vocacional – no Seminário, 09h – 15h

 

 

 

Nota de Falecimento de Monsenhor Antônio Marques

monsantonioA Arquidiocese de Pouso Alegre anuncia com pesar o falecimento de Monsenhor Antônio Marques Ferreira. Ele faleceu em Cambuí nesta segunda-feira, 21, onde residia com sua família. Seu corpo está sendo velado na Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora do Carmo de Cambuí.

A missa de corpo presente será celebrada às 15h, sendo celebrada pelo Arcebispo Metropolitano, Dom José Luiz Majella Delgado – C.Ss.R., e concelebrada por diversos padres da Arquidiocese de Pouso Alegre. O sepultamento será às 17h no cemitério local.

Monsenhor Antônio morreu com 78 anos de idade, dos quais 48 vividos como padre. Foi pároco de Bom Repouso por 30 anos, depois também exerceu seu ministério presbiteral nas Paróquias de Córrego do Bom Jesus, Carvalhópolis, São Sebastião da Bela Vista e Wenceslau Braz.

Na pessoa de seu irmão, padre Otávio, cumprimentamos todos os familiares, na certeza de que receberá a recompensa dos justos. Ele que amou profundamente seu ser sacerdotal, seja transportado nos ombros do Bom Pastor. Descanse em paz!

 

 

Papa divulga Carta Apostólica sobre a Misericórdia

No final do Ano Jubilar da Misericórdia, a Santa Sé apresentou ao mundo nesta segunda-feira, 21, a Carta Apostólica Misericordia et Miseria, do Papa Francisco. (Faça o download do documento aqui)

“Misericórdia e Mísera (misericordia et misera) são as duas palavras que Santo Agostinho utiliza para descrever o encontro de Jesus com a adúltera (cf. Jo 8, 1-11). Não podia encontrar expressão mais bela e coerente do que esta, para fazer compreender o mistério do amor de Deus quando vem ao encontro do pecador: «Ficaram apenas eles dois: a mísera e a misericórdia».Quanta piedade e justiça divina nesta narração! O seu ensinamento, ao mesmo tempo que ilumina a conclusão do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, indica o caminho que somos chamados a percorrer no futuro”, escreve o Santo Padre no primeiro parágrafo do texto.

Imagem: CTV Vaticano
Imagem: CTV Vaticano

Segundo o Papa, a misericórdia não pode ocorrer apenas como celebrações ou em determinadas épocas da vida, mas deve ser uma prática constante da Igreja.

“Com efeito, a misericórdia não se pode reduzir a um parêntese na vida da Igreja, mas constitui a sua própria existência, que torna visível e palpável a verdade profunda do Evangelho. Tudo se revela na misericórdia; tudo se compendia no amor misericordioso do Pai”, afirma.

Além da reflexão sobre a misericórdia, a Carta Apostólica também traz uma orientação prática à Igreja. A parte de agora, todos os padres, pelo seu ministério, têm a licença para absolver, durante o Sacramento da Reconciliação, aqueles mulheres que tenham praticado aborto ou aqueles que estejam ligados a esse pecado.

“Em virtude desta exigência, para que nenhum obstáculo exista entre o pedido de reconciliação e o perdão de Deus, concedo a partir de agora a todos os sacerdotes, em virtude do seu ministério, a faculdade de absolver a todas as pessoas que incorreram no pecado do aborto. Aquilo que eu concedera de forma limitada ao período jubilar fica agora alargado no tempo, não obstante qualquer disposição em contrário. Quero reiterar com todas as minhas forças que o aborto é um grave pecado, porque põe fim a uma vida inocente; mas, com igual força, posso e devo afirmar que não existe algum pecado que a misericórdia de Deus não possa alcançar e destruir, quando encontra um coração arrependido que pede para se reconciliar com o Pai. Portanto, cada sacerdote faça-se guia, apoio e conforto no acompanhamento dos penitentes neste caminho de especial reconciliação”, define.

MECE’s participam de concentração Eucarística

Centenas de Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística (MECE’s) de diversas paróquias da Arquidiocese de Pouso Alegre participaram deste domingo, 20, da IV Concentração Eucarística. O encontro ocorreu em Itajubá e teve como tema “Jesus Cristo, rosto misericordioso do Pai”. O dia de reflexão foi conduzido pelo padre Benedito Ângelo Cortez.

Ao final do dia, uma missa foi celebrada no Santuário Nossa Senhora da Agonia. Presidiu a Eucaristia o reitor do Santuário, padre Jésus Andrade Guimarães, e concelebraram o padre João Bosco de Freitas, padre Lucas da Silva Crispim, Padre Dito Chico, Cônego Sebastião Camilo e padre Luiz César Moraes.

 

Fotos: Dalila Lopes – Pascom Santuário São Francisco de Paula e Nossa Senhora de Fátima de Ouro Fino

Arquidiocese de Pouso Alegre lança Plano de Pastoral

Durante celebração na manhã deste domingo, 20, na Catedral Metropolitana de Pouso Alegre, apresentou aos fiéis e ao clero o Plano Arquidiocesano de Pastoral, fruto da 9ª Assembleia. A celebração foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom José Luiz Majella Delgado – C.ss.R., e concelebrada pelo Vigário Geral, Cônego Wilson Mário de Morais, pelo Cura da Catedral, Cônego Vonilton Augusto Ferreira, e diversos outros padres. Centenas de fiéis participaram da celebração, entre os quais estavam representantes de diversas paróquias da Arquidiocese. O plano hoje apresentado vai guiar os trabalhos até o ano de 2020.

Em sua homilia, o Arcebispo lembrou que estes planos devem nortear todos os trabalhos pastorais na Arquidiocese e que a palavra “comunhão” é indispensável para guiar todo esse processo.

lancamentoplanopastoral_20112016_4“O Plano de Pastoral não é um subsídio optativo para ser usado por quem quer que seja ou deseja. Ele é o documento oficial para conduzir-nos todos a um serviço de comunhão pastoral, condição fundamental para o testemunho de nosso discipulado missionário. ‘Em comunhão’! Este é o segredo do bom êxito de qualquer iniciativa da Igreja, sobretudo de um Plano de Ação Evangelizadora. ‘Hoje, mais do que nunca, o testemunho de comunhão eclesial e de santidade são uma urgência pastoral’ (DAp 368), afirmou.

Dom Majella também lembrou que apesar de serem três as prioridades assumidas (Comunidade  de Fé em estado permanente de missão; Comunidade de Fé a serviço das famílias; Comunidade de Fé a serviço da vida plena para todos;), existem muitas outras prioridades e desafios pastorais a serem alcançados.

“Apesar de sermos uma região que tem aspectos originais que lhe dão unidade e comunhão, a diversidade religiosa e cultural hoje em dia é notória. O fenômeno acelerado da urbanização que vem provocando a migração. Em muitas comunidades rurais há pouca juventude, pois os jovens migram para as grandes e médias cidades em busca de escolas e trabalho. A degradação ambiental é uma realidade entre nós, precisamos criar uma nova cidadania ecológica. A situação de violência do contexto urbano, com crimes e roubos, apresenta avanço considerável nas áreas rurais, sendo que tem muitas famílias que deixam de ir às celebrações para não deixarem suas casas sozinhas. O desafio da inculturação, decorrente dos processo migratórios, sobretudo nos períodos de grandes safras agrícolas. A necessidade cada vez maior de valorização da religiosidade do povo e da ampliação do ecumenismo e do diálogo inter-religioso. A proximidade das pessoas que estão em estado de risco: nos presídios, nos hospitais”, elencou em sua homilia.

No final da celebração, os representantes do Conselho Arquidiocesano de Pastoral (CAP) receberam das mãos do Arcebispo o exemplar do plano de pastoral e receberam a bênção de envio. O plano Arquidiocesano será apresentado em todas as Paróquias nas missas do domingo à noite.

lancamentoplanopastoral_20112016_3

Leia a homilia de Dom Majella
lancamentoplanopastoral_20112016_1
“Chegamos ao final do Ano Litúrgico. A atenção das leituras bíblicas é orientada para o papel real do Senhor Jesus: herdeiro de Davi para apascentar o povo de Israel. O Evangelho coloca em evidência o papel salvífico de Jesus na Cruz. Cris na cruz reina dando-Se a Si mesmo, perdendo a Sua vida para que o mundo possa viver. A melhor atitude diante desta cena do crucificado é ter consciência dos próprios pecados, arrepender-se deles e tirar da Cruz de Jesus a coragem e a força para mudar de vida. Hoje encerra-se na Basílica de São Pedro, em Roma, o Jubileu Extraordinário da Misericórdia com o fechamento da Porta Santa. O Papa Francisco, ao encerramento deste jubileu, ao encerramento deste Jubileu, nos convida a darmos graças a Deus por nos ter concedido este tempo extraordinário de Graças. Que as portas do nosso coração permaneçam sempre abertas como a verdadeira porta da Misericórdia que é o Coração de Cristo.

Hoje apresentamos à nossa Igreja particular de Pouso Alegre o nosso Plano de Ação Evangelizadora. A Igreja, desde os seus primórdios, obedeceu a certas regras de organização. Ela, sempre missionária, se organizou em vista do Reino de Deus. Elaborar projetos e planejar a ação evangelizadora ajuda-nos a sair de uma ‘pastoral de manutenção’ para uma ‘pastoral missionária’ como sugere o Documento de Aparecida. A Igreja particular de Pouso Alegre segue há vários anos o caminho de planejar a ação pastoral. Este Plano de Ação Evangelizadora que hoje apresentamos às nossas comunidade eclesiais procura transcrever, em projetos, as decisões da 9ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral.

A construção desta 9ª Assembleia de Pastoral realizada neste ano Jubilar Extraordinário da Misericórdia iniciou-se nas comunidades lancamentoplanopastoral_20112016_2eclesiais em fevereiro de 2015 onde todos os irmãos e irmãs se colocaram a caminho criando corpo, vida e anúncio evangélico e atingiu o seu ponto alto com a realização da Assembleia, onde se chegou às prioridades e sugestões para as ações evangelizadoras desta nossa Igreja Particular, elegendo para o ano de 2016-2020: Família, Missão e Vida plena para todos.

Um Plano Arquidiocesano visa objetivos concretos e acessíveis, mesmo que mantenha o horizonte amplo da ação pastoral evangelizadora e missionária. Por isso o Plano Arquidiocesano de Pastoral ‘caminho de pastoral orgânica, deve ser resposta consciente e eficaz para atender às exigências do mundo de hoje com indicações programáticas concretas, objetivos e métodos de trabalho, formação e valorização dos agentes e procura dos meios necessários que permitam que o anúncio de Cristo chegue às pessoas, modele as comunidades e incida profundamente na sociedade e na cultura mediante o testemunho dos valores do Evangelho (DAp 371)’.

O Plano de Pastoral não é um subsídio optativo para ser usado por quem quer que seja ou deseja. Ele é o documento oficial para conduzir-nos todos a um serviço de comunhão pastoral, condição fundamental para o testemunho de nosso discipulado missionário. ‘Em comunhão’! Este é o segredo do bom êxito de qualquer iniciativa da Igreja, sobretudo de um Plano de Ação Evangelizadora. ‘Hoje, mais do que nunca, o testemunho de comunhão eclesial e de santidade são uma urgência pastoral’ (DAp 368).

O ponto de partida da missão da Igreja é Jesus Cristo. Sem o encontro pessoal e contagiante com jesus Cristo não há discípulos nem missionários. O Plano inicia com a nossa história, em seguida a luz que nos ilumina: Documento de Aparecida, as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil – 2016-2019, Exortação Apostólica Evangelium Gaudium, com a única preocupação de encarná-los na realidade arquidiocesana de hoje, o objetivo geral, os novos rumos para o caminho, as recomendações e metas.

A grande proposta é a conversão pastoral, criando comunidade de comunidades, transformando a Igreja numa comunidade acolhedora e em saída, cheia de amor vivo a Jesus e à Sua Palavra. É importante lembrar que, neste momento desafiador da história, não daremos conta de responder às demandas de evangelização se não estivermos unidos, caminhando juntos, em busca de soluções. Destacamos três prioridades: Família, Missão e Vida Plena para todos. Mas ainda são inúmeros os desafios à pastoral.

Apesar de sermos uma região que tem aspectos originais que lhe dão unidade e comunhão, a diversidade religiosa e cultural hoje em dia é notória. O fenômeno acelerado da urbanização que vem provocando a migração. Em muitas comunidades rurais há pouca juventude, pois os jovens migram para as grandes e médias cidades em busca de escolas e trabalho. A degradação ambiental é uma realidade entre nós, precisamos criar uma nova cidadania ecológica. A situação de violência do contexto urbano, com crimes e roubos, apresenta avanço considerável nas áreas rurais, sendo que tem muitas famílias que deixam de ir às celebrações para não deixarem suas casas sozinhas. O desafio da inculturação, decorrente dos processo migratórios, sobretudo nos períodos de grandes safras agrícolas. A necessidade cada vez maior de valorização da religiosidade do povo e da ampliação do ecumenismo e do diálogo inter-religioso. A proximidade das pessoas que estão em estado de risco: nos presídios, nos hospitais. O despertar para a missão além de nossas terras do Sul de Minas.

Hoje estamos recebendo um documento que se trata de um trabalho conjunto decidido em Assembleia Arquidiocesana. Vamos nos colocar a caminho de realização. Sejamos práticos em nossas Comunidades e respectivas paróquias. É ali, nas comunidades, que estes projetos tomarão corpo, vida e anúncio evangélico. Que este novo tempo de evangelização seja cultivado pela colegialidade das nossas ações, pela necessidade e a beleza de ‘caminhar juntos’, pelo esforço de todos para resgatar o sentido da vida em comunidade e recriar o conceito de missão.

A palavra chave deste Plano de ação é Evangelizar. Deus nos guie na missionariedade de todos os dias e na prática dos projetos decididos em nossa 9ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral.

Nossa Senhora indique para todos nós o caminho: Ele, nosso Senhor Jesus Cristo, o ‘Bom Jesus’ que se revelou para nós como Caminho, Verdade e Vida! Que São Sebastião, padroeiro de nossa Arquidiocese, interceda por todos nós. Amém!”.

 

Fotos: Tatiana Ramos – Pascom Catedral